sábado, 27 de fevereiro de 2010

Michael Stipe & Rain Phoenix - Happiness

Notícia oficial: R.E.M. "Who shot rock and roll" photo in Guardian article

R.E.M. "Quem fotografou o rock and roll" foto no artigo do Guardian

Notícia oficial no site

A foto emblemática de Laura Levine com a banda no Walter´s BBQ em 1984 é apenas uma amostra das várias fotos do Who Shot Rock and Roll: A Photographic History, uma exibição que contém fotos de 1955 até o presente no Brooklyn Museum que está sendo objeto de artigo do Guardian nesta semana. Laura respondeu algumas perguntas sobre seu relacionamento com o R.E.M. e também falou sobre a foto que se tornou verdadeiramente uma das fotos essenciais do R.E.M. Aqui está um trecho de sua entrevista, seguido do link para o artigo do Guardian:

R.E.M. no Walter's BBQ:

Guardian: Como você se tornou amiga da banda?

LL: A primeira vez que ouvi falar do R.E.M. foi por um amigo, o Peter Holsapple (do dB´s), que me deu uma fita cassete deles contendo Radio Free Europe e Sitting Still num jogo de poker numa noite. Ele pensou que eu pudesse gostar da música deles e ele estava certo. Eu combinei uma sessão de fotos com eles quando eles viessem de Athens, Geórgia para tocar em New York em 1982. (Eu acho que eu primeiro fotografei eles para a New York Rocker, onde eu era chefe de fotografia e editora de fotografia, isto é, eu podia escolher as pautas!)

Michael, Peter, Bill e Mike vieram para o meu apartamento em Chinatown para a sessão de fotos e nós apenas fizemos o trabalho. Depois da sessão, alguns de nós fomos para Chinatown comer e foi isso. Nós continuamos mantendo contato e nos tornamos bons amigos, e através deles eu consegui conhecer várias outras bandas de Athens. Quando a irmã do Michael do OH-OK veio para New York na primeira vez, ele quis que nos encontrássemos e eles acabaram ficando comigo. Nos anos seguintes eu segui muito do cenário musical de Athens (Pylon, Love Tractor, o B-52´s), passei muito tempo lá e fiz muitos amigos.

Guardian: Quanto tempo você conhecia eles quando você tirou essa foto?

LL: Acho que dois anos quando tirei essa foto.

Guardian: Qual foi o contexto desta foto? O que a banda estava fazendo nesta época?

LL: Esta foto foi tirada em Março de 1984 em Athens, Georgia. A banda estava prestes a lançar o seu segundo álbum, Reckoning e como a sua gravadora não tinha orçamento para mandar um fotógrafo para Athens para tirar as fotos para publicidade, eu voei para lá pagando do meu próprio bolso para fotografar e passar algum tempo com os meus amigos. Nos dias seguintes nós cinco exploramos cada canto fotogênico - trilhos de ferrovias, fábricas abandonadas, árvores cobertas em kudzu, placas de trânsito, o jardim espiral de R.A. MIller, e é claro o Walter´s Bar-B-Que. Na verdade, nós paramos no Walter, um de seus locais favoritos, simplesmente por que estávamos com fome e queriamos almoçar. Não foi uma foto programada. Enquanto estávamos comendo eu vi uma grande foto e tirei. Acho que eu nunca deixei os caras comerem em paz.

•Guardian: Esta foto é especial para você?

LL: A foto tem um lugar especial no meu coração não só pela amizade, mas porque registra uma época e um lugar que desapareceu logo depois. Todo o tempo que passei com eles, e todo o tempo que passei em Athens foi muito especial para mim. Foi uma época feliz... de diversão, juventude, experiências e potencial infinito. Eu não acho que algum de nós imaginou o quando mudaria em apenas alguns anos. A foto captura os últimos momentos de inocência antes deles se tornarem um sucesso. Mas principalmente para mim, quando eu olho para esta fotografia, eu vejo meus quatro amigos mastigando uma boa refeição, sorrindo, relaxando e sendo eles mesmos.

Veja o artigo no Guardian.co.uk.

Visite o site da Laura para mais informações sobre suas fotografias.

Traduzido por PauloEdu.

Notícia oficial: Weekend Report from Chronic Town

Relatório Semanal da cidade crônica

Notícia oficial no site

A última notícia da banda é que eles vão voltar ao estúdio em Abril, para continuar as sessões de gravação que se iniciaram no Music Shed em New Orleans em Novembro de 2009. Peter, Mike e Michael se reunirão com Scott McCaughey e Bill Rieflin, assim como com o produtor Jacknife Lee e sua equipe, Tom McFall e Sam Bell, todos que participaram do Accelerate e Live At the Olympia.

O single "Everybody Hurts" arrecadou mais de $1.000.000,00 para o Haiti e está se aproximando rapidamente de 500.000 unidades vendidas. Consequentemente, "Everybody Hurts" é a música número 1 no Reino Unido pela segunda semana consecutiva. Ótima notícia, e como você pode imaginar, a banda está muito satisfeita em ter uma de suas músicas usadas para ajudar na reconstrução do Haiti. A música também está disponível para download no iTunes nos Estados Unidos.

Ainda sobre o assunto "Everybody Hurts" nós encontramos este blog interessante sobre a música e a forte ligação que a música criou com os ingleses após as bombas que explodiram em 2005.

O Merge Records comemorou seu vigésimo aniversário ano passado com o lançamento de SCORE! 20 Years of Merge Records, uma caixa em edição limitada que foi entregue para os inscritos no ano de 2009. Peter foi um dos curadores da caixa e uma parte da renda da venda foi destinada à Durham Rescue Mission, a instituição de caridade escolhida pelo Peter.

A Merge ainda tem algumas unidades da caixa disponíveis para a venda na loja Merge.

Nós avisaremos novamente quando o evento estiver mais próximo, mas o Sundance vai exibir o "This is not a Show" no dia primeiro de Março às 12!5pm e 6pm além de Domingo dia 7 de março às 6:35pm.

Em Athens....

Nesta semana, Athens vai comemorar a vida e o gênio musical de Vic Chesnutt com dois shows no 40 Watt, dias 19 e 20 de fevereiro. Os shows terão apresentações de uma tonelada de artistas talentosos, alguns locais, outros não, que trabalharam com o Vic no passado ou que foram afetados por sua música. O local abrirá as 8pm em ambas as noites. A banda não vai comparecer mas mantém a familia do Vic e amigos em seus pensamentos.

A Georgia Organics realizará sua décima-terceira conferência anual em Athens neste final de semana no Classic Center. A programação inclui tour nas fazendas, workshops e seminários educacionais com vista a missão GO para "cultivar comida saudável, sustentável e local para todos os georgianos". Para mais informações, visite o flagpole.com.

Por último, além dos shows para o Vic e da Georgia Organics, Athens vai comemorar o ótimo trabalho de uma das nossas ONGs favoritas, a Community Connection, no Classic Center neste domingo, 21 de Fevereiro das 5pm às 8pm. O evento A Taste of Athens é um dos favoritos da população, então se você estiver na cidade e nunca foi ao evento, não perca. Mais no flagpole.com.

Traduzido por PauloEdu.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Artigo The Sun - What's Haiti single and REM song Everybody Hurts about?

Sobre o que fala a música Everybody Hurts do REM de ajuda ao Haiti?

notícia oficial no site

(O site oficial possui diversas versões da música com Joe Cocker, Paul Anka, Bonnie Tyler dentre outros).

Astros da música incluindo Kylie Minogue, Take That e Mariah Carey estão gravando a música Everybody Hurts do REM para ajudar o Haiti. Mas afinal do que a música fala e por que ela é associada com suicídio?

Ela foi criada como uma música para confortar os "mais jovens" e a tentativa feita para que ela se tornasse acessível para todos que não fizeram faculdade se tornou eficaz para todas as situações.

Everybody Hurts não é uma música típica do REM. Pelo menos por um motivo, você consegue entender tudo que o escritor e vocalista da banda, o Michael Stipe diz. E o mais importante, seu significado é óbvio: não desista.

Esta música teve uma divulgação mais ampla que a maioria das outras do REM, mesmo antes da iminente rendição das celebridades. Ela foi, por exemplo, a primeira música tocada pela Radio 1 depois dos dois minutos de silêncio que foi realizado na época dos tiroteios de Dunblane em 1996. Uma versão editada contendo os sons dos ataques nas torres gêmeas foi amplamente circulada no final de 2001. Além disso, a música fez par com Candel In the wind e I´ll be missing you no álbum em memória a princesa Diana.

No entanto, os problemas que a música trata originalmente são mais pessoais. No vídeo de 1993, Michael Stipe é mostrado entre vários motoristas em um tráfego do Texas, cada um pensando em seus próprios problemas, todos mostrados na legenda. Um dos pensamentos era de um adolescente olhando pela janela e pensando: "Eles vão sentir a minha falta". Suicídio - especialmente entre os mais jovens - é o problema pessoal que as pessoas mais associam com Everybody Hurts.

"Don´t throw your hand"

Em 2001, a Assembléia de Nevada aprovou uma resolução reconhecendo o REM por "estimular a prevenção de suicídios entre os jovens", especificamente através de Everybody Hurts. Em 1995, os Samaritans lembraram do aniversário do suicído de Kurt Cobain com propagandas em revistas de músicas que continham dois versos da música.

Peter Buck disse para a BBC em 2005: "Nós pretendemos dar a licença da música de graça para a caridade". Na mesma entrevista, Stipe é evasivo como sempre, mas Peter Buck é mais direto. "Eu lembro do Michael dizer que queria que os mais jovens não se importarem com as metáforas". "A única metáfora está antes do refrão: "don´t throw your hand" , que é uma carta de jogo da metáfora. "É também, para muitos, uma metáfora para tirar a vida de alguém. Não é incongruente então, utilizar essa letra para os Haitianos afetados pelo terremoto?

"As coisas estão difíceis mas vão melhorar".

Não necessariamente. Peter disse para a revista Mojo que "tentar atingir um jovem de 17 anos dizendo 'está tudo bem - as coisas estão difíceis mas vão melhorar'" envolve ser direto e essa universalidade significa que a música é escolhida por outras pessoas.

A simplicidade da música também ajuda. Com base em uma bateria mecânica que custa 20 dólares, a música se permeia com acordes familiares. Mesmo com a chegada da orquestra, elaborada pelo antigo baixista do Led Zeppelin, John Paul Jones, existe uma intimidade que encaixa na letra e o vocal do Stipe que, nas palavras do crítico de rock Garry Mulholland, expressa "todas as tragédias pessoais e pensamentos que ele já teve". Uma versão preliminar da música incluia o seguinte verso: "Everybody hurts, even the singer of the song" ("todo mundo sofre, até mesmo o vocalista desta música").

A música gravada para a caridade é muito diferente da original e o organizador da nova versão, Simon Cowell, não é geralmente associado com restrições musicais. Entretanto, o objetivo do lançamento da música na próxima semana não é atingir a fidelidade a versão original, é algo mais comumente associado com o senhor Cowell - que é dinheiro, neste caso para o Haiti.

Falando pelo REM, Stipe disse: "Como nós podiamos negar esse apelo? Estamos honrados em participar, mesmo de maneira tão singela para ajudar. Esta frase ecoa o que disse o Peter Buck para a BBC em 2005: "A música pertence mais as pessoas que ela se destina do que a banda".

Video novo no youtube - Losing my Religion (com orquestra) 1991

domingo, 14 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Entenda a Letra - Everybody Hurts

Everybody Hurts
do disco: Automatic for the People


Everybody Hurts
When the day is long and the night, the night is yours alone,
when you're sure you've had enough of this life, well hang on.
Don't let yourself go, everybody cries and everybody hurts sometimes.

Sometimes everything is wrong. Now it's time to sing along.
When your day is night alone, (hold on, hold on)
if you feel like letting go, (hold on)
when you think you've had too much of this life, well hang on.

Everybody hurts. Take comfort in your friends.
Everybody hurts. Don't throw your hand. Oh, no. Don't throw your hand.
If you feel like you're alone, no, no, no, you are not alone

If you're on your own in this life, the days and nights are long,
when you think you've had too much of this life to hang on.

Well, everybody hurts sometimes,
everybody cries. And everybody hurts sometimes.
And everybody hurts sometimes. So, hold on, hold on.
Hold on, hold on. Hold on, hold on. Hold on, hold on. (repeat & fade)
(Everybody hurts. You are not alone.)

Tradução
Todo mundo sofre
Quando o dia está comprido e a noite, a noite solitária,
Quando você estiver cheio desta vida, bem aguente firme.
Não desista, todo mundo chora e todo mundo sofre às vezes.

Tudo parece errado às vezes. Agora é a hora de se enturmar.
Quando você estiver só, (aguente firme, aguente firme)
se você estiver com vontade de desistir, (aguente firme)
quando sentir que está cheio desta vida, aguente firme.

Todo mundo sofre. Peça ajuda aos seus amigos.
Todo mundo sofre. Não jogue tudo para o alto. Não. Não jogue tudo para o alto.
caso você se sinta sozinho, não, não, não, você não está sozinho.

Se você não tiver mais ninguém na vida, os dias e noites são longos,
Quando você estiver cheio desta vida, bem aguente firme.

Todo mundo sofre às vezes,
Todo mundo chora. E todo mundo sofre às vezes.
E todo mundo sofre às vezes. Então, aguente firme.
Aguente firme. Aguente firme. Aguente firme.Aguente firme. (repete)
(Todo mundo sofre. Você não está sozinho)

Traduzido por PauloEdu.

Everybody Hurts - Campanha pró Haiti - Video Oficial



Notícia oficial: Haiti Single Out Now

MÚSICA PARA O HAITI ESTÁ DISPONÍVEL!

notícia oficial no site

A música "Everybody Hurts", utilizada para ajudar o Haiti está disponível nas lojas no Reino Unido e também em formato digital para download. Todos os lucros serão utilizados para auxiliar o Haiti e o Comitê de Emergências em Desastres.

Clique AQUI para baixar a música das seguintes lojas: iTunes, Nokia, HMV, Amazon, Zavvi, and Play.

Traduzido por PauloEdu.

Notícia oficial: Burn bright through the night

BRILHE INTENSAMENTE À NOITE

notícia oficial no site

Enquanto remexia em sua volumosa coleção de discos e livros outro dia, Peter encontrou um exemplar raro do livro Life: How to Live, a inspiração para a música do R.E.M. "Life and How to Live It" do disco Fables of The Reconstruction. Devido a descoberta do Peter (foto acima de Chloe Johson) e do fato de que neste mês faz exatamente 25 anos que as gravações para o "Fables" começaram com Joe Boyd em Londres, pensamos que seria legal revisitar um dos clássicos do R.E.M., uma música que o Mike Mills chama de "a música mais divertida do R.E.M. que eu toco".

Veja os videos abaixo -- o primeiro, do filme Succumbs do R.E.M. é dirigido por Jackie Slayton e Jim Herbert, o secundo é de um show de alabamahalle em Munique em 1985, e o terceiro é de um show de 2003 em Madri. Depois de ver os videos, dê uma lida também no artigo de Matthew Perpetua sobre o "Life and how to live it" no popsongs.wordpress.com.







Traduzido por PauloEdu.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010